kiev escort - проститутки киева

Rock in Rio – Eu fui!

O segundo post da série especial “Paralamas no Rock in Rio” traz a história de fãs da banda que foram aos shows que os Paralamas fizeram em 2 edições do Rock in Rio: 1985 e 2011. Tem cada história bacana! Tem uma fã que desmaiou na hora do show, um que mandou fazer camiseta especial pro dia, pai e filha juntos no mesmo show, voo atrasado, trânsito … Os Paralamas só tem a agradecer a todos vocês por todo esse carinho!

 

Vanusa Macedo – Rock in Rio 1985

Fiquei tão pilhada que desmaiei de emoção kkkk não me perdôo até hj

 

André Feliciano – Rock in Rio 2011

Estive no Rock in Rio 2011, no dia da abertura (Paralamas e Titãs). Na época, procurei por camisa dos Paralamas e não achei. Então, mandei fazer uma pra mim. Acredito que de todo o Rock in Rio só eu que estava com uma camisa da banda rsrsrs  Dia 20/09 estarei lá, marcando presença mais uma vez.

 

Luiz Flutt – Rock in Rio 2011 e em 1985, o pai dele

Eu fui ao show do Paralamas no RIR 2011, e meu pai foi ao show de 1985. Quase uma herança de pai pra filho!

 

Renata Sanches – Rock in Rio 1985 

oiiiiiiiiiiiiiiii banda mais querida do Brasil!!!! 13.01.85 sim, eu estava lá!!! Tinha 18 anos e o Rock in Rio foi minha primeira aventura musical fora da minha cidade, Campinas (SP). Assisti aos shows das cinco primeiras noites, todos inesquecíveis. Mas o pequeno trio, em cima daquele palco enorme, agigantou nessa apresentação. Me emociono em todos os shows dos Paralamas, mas, claro, alguns sempre marcam mais. Este foi meu primeiro show da banda. Não poderia começar melhor, né? E como não me apaixonar por esses ‘meninos’? Serão sempre meus meninos queridos. Anos mais tarde tive a sorte, a honra e a felicidade de trabalhar na EMI Odeon – SP por quase dois anos e… adivinha? Pude conhecer de perto e conviver com esse grupo formado por pessoas tão especiais. Não só o trio, mas toda família Paralamas.

 

Hector Pinho – Rock in Rio 2011

Foi um dia irado. Minha primeira vez no Rock In Rio. Fui com uns amigos e chegamos logo cedo. Curtimos alguns shows e na hora da abertura oficial nos posicionamos no centro palco. Foi muito emocionante e com toda a queima de fogos. Me lembrei de várias coisas e pessoas (na época minha avó estava internada e foi bem difícil) e não consegui me controlar e chorei. Chorei muito. Foi especial ver meus ídolos abrindo o maior festival de música do mundo e inesquecível presenciar eles dividindo o palco com o Milton Nascimento cantando “Love of my Life” do Queen. Alguns anos mais tarde, descobri que minha namorada também estava no show e se emocionou da mesma forma que eu. Até hoje me lembro de voltar pra casa realizado e cansado mas ainda voltei no dia seguinte pro Rock In Rio!

 

Denise Gomes – Rock in Rio 1985

Foi fantástico e o curioso pois não pensávamos em ir ao RIR, resolvemos de repente. Passamos no Maracanã, compramos os ingressos, e fomos de ônibus via Tijuca para lá! Tudo foi sensacional. Éramos um grupo de 7 pessoas e chegamos no comecinho do show do Paralamas! A música “Óculos” era a sensação da época e eu já era muito fã dos Paralamas. Mas as música que ficaram na nossa cabeça mesmo foram “Química”, e “Inútil”, na homenagem ao Ultraje a Rigor, que viemos cantando durante toda a viagem de volta!

 

Joannes Guglielmi – Rock in Rio 2011

Show dos Paralamas,faz parte da minha vida como cidadão. Já tive a oportunidade de ver algo acima de 300 shows e todos sempre com algo diferente. No Rock in Rio de 2011, fui com minha esposa para mais um show. Como sempre mais um belíssimo show. Herbert, Bi e Barone, além da cozinha com a Orquestra Sinfônica, dando aquele complemento no arranjo. Simplesmente MÁGICO. Esse ano, quando fomos comprar os ingressos para o Rock in Rio, minha filha de 9 anos escolheu justamente o dia 20, para ver os Paralamas! Minha filha já vai em show dos Paralamas desde os 8 meses de idade. Paralâmica igual ao pai e a mãe.

 

Gabriel Ishii Zamataro – Rock in Rio 2011

Dia 23/09/11 rumei ao Rio de Janeiro para o meu primeiro RIR, e o dia começou com muitas emoções e voos atrasados chegando em cima da hora no Rio de Janeiro. O trânsito parava a cidade inteira e fez com que absolutamente todos os acessos à Cidade do Rock estivessem completamente parados.

Fui no dia 23 especialmente para ver os Paralamas que tem uma importância gigantesca na minha vida, pois o primeiro disco que ganhei na vida foi “O Passo do Lui” e, apesar de já ter visto alguns shows deles, não estaria completo se não os visse no mais importante e icônico festival do Brasil. Cheguei na Cidade do Rock no exato momento em que João, Bi e Herbert entraram no palco e já no primeiro acorde de Óculos, vi que todo aquele perrengue para chegar valeria a pena. E valeu!