My Weblog: istanbul elektrikci kutahya web tasarim umraniye elektrikci uskudarda elektrikci umraniyede elektrikci kentsel donusum Acil elektrikci kadikoy elektrikci kagithane elektrikci beylikduzu elektrikci seyrantepe elektrikci alibeykoy elektrikci uskudar elektrikci umraniye elektrikci istanbul su tesisat tamiri sisli kombi tamiri sisli cilingirci

Começando em Curitiba, novamente!

 

Está chegando! Lançado Sinais do Sim, é hora dos Paralamas do Sucesso abrirem a nova turnê! O primeiro show dela será em 30 de setembro, no Teatro Positivo, em Curitiba. Por sinal, a capital do Paraná é local preferencial dos Paralamas para dar o pontapé inicial em suas turnês – será a terceira vez que isso acontece na história da banda. E o site dos Paralamas relembra começos anteriores lá, em 1998 e 2009! Adquira seu ingresso!

 

Curitiba é uma capital brasileira levada muito a sério. A razão foi até comentada neste site, num texto de João Barone em 2009: “Via de regra, esquentamos o show em algumas apresentações (…) Sempre vem a lembrança de Curitiba, lugar que por alguma razão tem a fama de testar novos produtos e avaliar a resposta da população, se aprovam ou não. Assim acaba sendo também no meio do entretenimento, pois muitos artistas e bandas gostam de passar em Curitiba com suas peças de teatro e shows, antes de encarar Rio e São Paulo”. No caso dos Paralamas, é assim desde 1998.

Naquele ano, Hey Na Na foi lançado entre o fim de março e o começo de abril, com “Ela disse adeus” chegando primeiro às rádios e abrindo caminho para o nono trabalho de estúdio da banda. Um evento fechado serviu como uma introdução para imprensa e amigos, no Rock in Rio Café, na Barra da Tijuca (Rio de Janeiro), em 2 de abril. Em maio daquele 1998, Herbert Vianna, Bi Ribeiro, João Barone e os cinco músicos de apoio da época (João Fera, Bidu Cordeiro, Monteiro Júnior, o trompetista Demétrio Bezerra e o percussionista Eduardo Lyra) alugaram a casa de shows Imperator, também no Rio, para ensaiarem o repertório e as surpresas do show. Um “ensaio aberto” foi feito para o público carioca, em 23 de maio, no próprio Imperator.

Mas era hora da turnê de Hey Na Na começar para valer. E onde isso aconteceu? Em Curitiba, mais precisamente na casa de shows Forvm (hoje, Moinho São Roque), em 28 e 29 de maio de 1998, com lotação máxima em ambas. O clima frio na capital paranaense – temperatura de 10º naqueles dias! – foi providencialmente esquentado pelos Paralamas. Ali se viu uma das aberturas de shows mais lembradas de todas as turnês da banda: as quatro torres com refletores “dançavam” pelo palco, com o loop de introdução de “Ela disse adeus” ininterrupto… até a banda começar a canção. “Ska” era a segunda música, e o baile seguia intercalando canções do trabalho recém-lançado (“Por sempre andar”, “Depois da queda, o coice”, “O amor não sabe esperar”) com os sucessos que não podem faltar, mais algumas versões – como “Manguetown”, já no repertório dos Paralamas desde a turnê de 9 Luas.

Ainda durante os ensaios, Herbert Vianna comentou ao jornalista Jamari França sobre uma parte do cenário planejado para aquela turnê: quatro torres, semelhantes a guindastes, com refletores pendurados, parte do sistema de iluminação: “Como [a iluminação] não é computadorizada, dificilmente vai chegar a um grau de perfeição cirúrgica. É um outro conceito, uma outra onda. Mas quando começa o show, com o loop de ‘Ela disse adeus’, e as torres começam a se mexer, a massa vem abaixo”.

O tempo passou, mas Curitiba seguiu como uma das cidades preferenciais para os começos de turnê dos Paralamas, “pelos fãs de lá serem especialmente calorosos” (como Herbert já comentara a Jamari França em 1998). E isso foi novamente confirmado em 2009, com a passagem pelos estados do Sul que iniciou a apresentação de Brasil Afora – lançado em fevereiro daquele ano.

Em 14 de maio, houve uma primeira passagem por Florianópolis. E em 16 de maio de 2009, os curitibanos reencontraram os Paralamas, no Teatro Guaíra. Outro loop iniciava a turnê de Brasil Afora: daquela vez, era a introdução de “Sem mais adeus”, que começava com as cortinas fechadas e se misturava à banda que entrava tocando. Dá para ver tudo isso no vídeo gravado para este site, lá no Guaíra:

 

 

O repertório daquele show trazia cinco canções do trabalho que era lançado (a citada “Sem mais adeus”, “Meu sonho”, “A lhe esperar”, “Mormaço” e “Quanto ao tempo”), mais os sucessos e algumas resgatadas do baú, havia muito não tocadas na época, como “Pólvora” e “Romance ideal”.

Vale lembrar dois momentos marcantes vistos então em Curitiba. O primeiro é lembrado até hoje como um dos grandes momentos da história dos Paralamas em cima do palco: o trecho acústico, no meio do show. Herbert assumia um violão, assim como João Fera; Bi ia para o baixolão; Barone se levantava e ia para uma versão compacta da bateria, apenas com um bumbo, uma caixa e um prato; Bidu Cordeiro e Monteiro Júnior seguiam no palco; e assim tocavam “Mormaço”, “O rio Severino”, “Caleidoscópio” e “Uns dias”, com a mudança do cenário feito por Zé Carratu ocorrendo ao vivo.

O segundo ocorreu em poucos shows daquela turnê: João Barone assumindo a porção “vocalista”, numa versão de “O vencedor” (Los Hermanos). E o baterista comentou tudo aquilo ocorrido, num texto para este site: “O show novo foi super bem recebido na capital paranaense, ainda mais no maravilhoso Teatro Guaíra. Valeu, curitibanos, pelo seu atestado de qualidade!”.

Abertura da turnê de Brasil Afora, no Teatro Guaíra, em 15 de maio de 2009. Foto de Bernardo Mortimer

 

Depois dessas estreias, os Paralamas passaram outras vezes por Curitiba. Mas agora, de novo, é para estrear uma turnê, enfim colocando o pé na estrada e Sinais do sim no palco. Esperamos todos no Teatro Positivo, no próximo dia 30, aguardando pelo “atestado de qualidade”!

Os ingressos para este show já estão à venda! Adquira o seu agora mesmo!