My Weblog: istanbul elektrikci uskudar elektrikci umraniye elektrikci film indir kadikoy elektrikci ev aletleri tamiri umraniye elektrikci uskudar elektrikci umraniye elektrikci

Disco novo dos Paralamas

Crédito: Fabrício Montezuma

 

Alô pessoal!

Nesse mês de março, os Paralamas do Sucesso entraram em estúdio para a gravação do novo disco de inéditas a ser lançado nos próximos meses pela Universal Music.

A primeira grande novidade é que este álbum será produzido pelo amigo Mário Caldato Jr que irá trabalhar com a banda pela primeira vez.

O disco terá várias surpresas e algumas participações especiais. De cara, podemos adiantar duas delas:

- O Duo Santoro, composto por Paulo e Ricardo, gravou um lindo arranjo de celos (escrito pelo João Fera). Clicando aqui você pode conferir uma palhinha desta gravação.

- Maurício Barros, tecladista do Barão Vermelho, participou de uma das faixas do novo CD tocando teclado.

 

Confira aqui uma galeria de fotos inéditas das gravações que rolaram no estúdio na última semana.

 

Fique de olho em nosso site, no Facebook e no Instagram que logo mais vamos contar mais novidades.

Através da #ParalamasNovoAlbum você confere todas as publicações relacionadas nas nossas redes sociais.

Paralamas na Bahia

Foto do show de Vitória da Conquista em 2008


O começo de 2017 proporcionou um périplo dos Paralamas do Sucesso pelo interior e litoral da Bahia. A rigor, a visita já começou em janeiro, no dia 31, com o show na Festa da Purificação, em Santo Amaro da Purificação. Continuará no dia 11, com show em Lauro de Freitas (no Armazém Hall). Mais uma passagem pela região, como tantas que a banda já fez em momentos recentes de sua história. Confira!

 

Os Paralamas do Sucesso têm uma relação íntima com a Bahia. Poderíamos começar por Salvador, de tantos shows importantes nesses 35 anos – além do mais, Brasil Afora foi gravado no estúdio Ilha dos Sapos, de Carlinhos Brown, no bairro do Candeal. Mas deixemos a capital da Boa Terra para outra oportunidade. Agora, a hora é de citarmos algumas passagens paralâmicas pelo interior e litoral do estado.

E elas acontecem há muito tempo. Dá para falarmos de uma ou outra passagem, ocorridas nos anos 1980 e 1990. E até de um programa marcante de televisão gravado no interior baiano: em dezembro de 1999, ainda divulgando o Acústico para a MTV brasileira, Herbert, Bi, Barone (e o então percussionista Eduardo Lyra) gravaram um programa da própria emissora, o Luau MTV, exibido no início de 2000, com a apresentação de Sabrina Parlatore. Onde foi a gravação? Na Bahia – mais precisamente, em Lauro de Freitas…

 

 

O tempo passou, muita coisa aconteceu, os Paralamas voltaram às turnês… e o interior da Bahia passou a ser um local periódico de aparições. Principalmente em festivais – como há quase dez anos, em 18 de agosto de 2007, quando a banda foi uma das atrações do primeiro Festival de Inverno de Vitória da Conquista, ainda divulgando o disco Hoje (embaixo, você pode ver um vídeo daquele show, gravado por um fã, com “O calibre”).

 

 

Não demorou muito para os Paralamas percorrerem a Bahia por dentro. Já em 29 de março de 2008, eles estavam de volta, em mais um evento. Dentro da Festa de São Pedro, projeto com vários eventos culturais por todo o estado, os Paralamas tocaram na cidade de Tapiramutá. Aí embaixo, você pode ver um vídeo gravado por um fã, de cima do palco, com “La Bella Luna”:

 


A partir daí, demorou um pouco mais para o retorno a outros municípios baianos. Mas ele afinal aconteceu. Foi em Ilhéus, em 28 de outubro de 2012, na casa de shows Boca du Mar, numa apresentação da turnê de Brasil Afora (embaixo, um vídeo de “Meu erro”, tirado dessa performance):

 

 

Desde então, não se passa pelo menos um ano sem que os Paralamas voltem a pelo menos uma cidade baiana. Foi assim em 8 de setembro de 2013, quando a turnê de celebração dos 30 anos passou por Paulo Afonso, no festival Copa Vela. Em 2014, houve o retorno dos Paralamas ao Festival de Inverno de Vitória da Conquista, em 31 de agosto – embaixo, a íntegra da apresentação, exibida pelo canal Multishow:

 

 

Depois, foi a vez de Arembepe, no dia 21 de março de 2015. Finalmente, ano passado, Ilhéus voltou a receber os Paralamas, também em março, no dia 26, para encerrar a primeira noite do Aleluia Ilhéus Festival. Neste 2017, começou com Santo Amaro da Purificação, continuará em Teixeira de Freitas e vai parar em Lauro de Freitas (nesta última cidade, o show será junto do Movimento Musical Alavontê, banda de Durval Lelys).

 

Sorriam, porque os Paralamas estão na Bahia. Afinal, sempre é bom sentir as vibrações da Boa Terra.


Ingressos para o show de Lauro de Freitas, dia 11 –  http://bit.ly/pds_laurodefreitas 

Paralamas Na Estrada – Janeiro 2017

 

O ano de 2017 começou a todo vapor para os Paralamas do Sucesso!

Neste mês de janeiro foram 7 shows que percorreram o Sul, Sudeste e Nordeste do Brasil. Apresentamos aqui fotos inéditas de bastidores e dos shows do mês de Janeiro/2017: São Paulo (SP), Florianópolis (SC), Rio de Janeiro (RJ), São Sebastião (SP) e Santo Amaro (BA).

Em destaque no post, a foto do show do Rio de Janeiro que contou com a participação mais que especial do amigo e parceiro Carlinhos Brown. :-)

As demais fotos estão aqui, só clicar e se divertir!

Fotos – Sesc Pompeia (SP)

 

Foram 3 shows incríveis no Sesc Pompeia em São Paulo.

Ingressos esgotados para os 3 dias.

Chegou a hora de conferir as melhores fotos desse fim-de-semana, clicando aqui.

Valeu, São Paulo! :-)

“Fabricando som” no Sesc Pompeia

 

Depois de um merecido descanso, é hora dos Paralamas do Sucesso darem o pontapé inicial nos trabalhos de 2017. O 35º ano de história da banda já começa com tudo: três shows na Comedoria do SESC Pompeia, em São Paulo, entre este dia 12 e o próximo dia 14, todos com ingressos já esgotados. Relembramos agora um momento especial que os Paralamas viveram, ainda no início de sua história, dentro do SESC.

 

Por mais que aquela geração de bandas/cantores dos anos 1980 já estivesse botando o pé na porta da música brasileira, ainda não havia espaços suficientes para que ela se expressasse. Programas dedicados ao público jovem? Até havia iniciativas aqui e ali, mais focadas em música ou abertos a todo e qualquer tipo de manifestação artística, mas nada duradouro.

Aos poucos, todavia, a movimentação fervilhante daquele pessoal, foi chamando a atenção. No caso de São Paulo, um espaço aberto em 20 de janeiro de 1982 foi fundamental para aumentar a curiosidade sobre o que se estava fazendo, em arte. As antigas instalações de uma fábrica desativada, no bairro da Pompeia, serviram de local para a concretização de um projeto da antológica arquiteta Lina Bo Bardi (que já tinha projetado o MASP – Museu de Arte de São Paulo). Dividindo os vários casarões da fábrica e reorganizando-os para servirem de cenário para diversos eventos, estava pronto o SESC Pompeia.

Já naquele ano, vários eventos transformaram o SESC Pompeia num local cobiçado pelos que surgiam – para citar apenas um, “O Começo do Fim do Mundo”, festival pioneiro que celebrou a cultura punk (com shows, exibição de filmes, lançamentos de livros), então incendiando as periferias paulistanas. Àquela altura, com os primeiros sucessos massivos, a geração dos anos 1980 já chamava mais a atenção. E a TV Cultura, emissora pública paulistana, foi uma das primeiras a ter notado no ar a “eletricidade”. Bastou o interesse de alguns produtores para arranjar um espaço onde pudesse ser gravado um programa que tivesse jovens fazendo arte para jovens (não só de idade, mas de espírito).

Esse espaço foi exatamente o teatro do SESC Pompeia: um palco no meio, com a plateia de um lado e de outro, exatamente para facilitar a proximidade e a manifestação do público. Tudo bem a gosto daquela geração. Resultado: em 12 de março de 1983, um sábado, nesse teatro, a TV Cultura exibia a primeira edição do Fábrica do Som, programa que era gravado às terças, das 21h às 23h, para ser exibido aos sábados. Assim foi, até 1984.

Primeiramente, é verdade que o programa abria espaço considerável às bandas/cantores da vanguarda paulistana: de Arrigo Barnabé a Itamar Assumpção, passando por Grupo Rumo, Língua de Trapo, Tetê Espíndola etc. Sem contar pintores que faziam intervenções visuais nos cenários do programa. Ou então, leituras de poesia no ar – não era em qualquer lugar que se encontrava Paulo Leminski recitando algumas de suas obras. Com toda essa oferta de arte, não demorou muito para que as bandas que passavam por São Paulo se interessassem em participar do Fábrica do Som. Foi o que aconteceu. Titãs (ainda Titãs do Iê-Iê), Ira!, Ultraje a Rigor, Sossega Leão: todas elas participaram do programa apresentado pelo artista audiovisual Tadeu Jungle. Abriu-se espaço até para a participação de Raul Seixas.

Aos poucos, embora não fosse um campeão de audiência, o Fábrica do Som foi se transformando num espaço fundamental para quem quisesse ganhar espaço em São Paulo. Chegando de Brasília, veio o Capital Inicial. O Barão Vermelho também passou por lá. E aí entram os Paralamas. Porque pouco antes do Fábrica acabar, em 12 de março de 1984, foi realizada uma edição de homenagem ao maestro Rogério Duprat (1932-2006), figura decisiva nas experiências musicais da época do Tropicalismo. E nossos três conhecidos lá estavam no teatro do SESC Pompeia, representando as novas bandas, junto do Ultraje a Rigor.

No programa, os Paralamasdivulgaram Cinema Mudo, em duas performances: “Química” e “Vital e sua moto”, ambas ao vivo, como você pode ver abaixo. Herbert Vianna foi claro: “É um prazer para a gente estar aqui”.

 

Nesse mesmo dia ainda rolou uma “canja”. Com Leospa, o baterista do Ultraje, fora de combate por uma fratura na mão, Roger Moreira pediu que João Barone quebrasse o galho. Camaradagem aceita. E antes mesmo da participação dos Paralamas, Barone acompanhou Roger, Maurício Defendi e Carlo Bartolini, em “Inútil” e “Mim quer tocar”. Veja aí embaixo (desconsiderem as legendas malucas e cheias de erros de português que aparecem nos vídeos rs)

 

 

Agora, quase 33 anos depois, não vai ser no Teatro. Mas sim na Comedoria, exatamente no prédio do outro lado da rua de paralelepípedos por onde começa o SESC Pompeia. De qualquer modo, o local continua trazendo lembranças do começo. E continua dando fôlego e alegrias aos Paralamas do Sucesso.

Esperamos todos lá para 3 dias seguidos de muito rock e energia nesse mítico palco paulistano! :-)

Os ingressos esgotaram mas, fiquem de olho no nosso Facebook e no nosso Instagram que iremos postar fotos e vídeos ao vivo das 3 apresentações!