My Weblog: istanbul elektrikci kutahya web tasarim umraniye elektrikci uskudarda elektrikci umraniyede elektrikci kentsel donusum Acil elektrikci kadikoy elektrikci kagithane elektrikci beylikduzu elektrikci seyrantepe elektrikci alibeykoy elektrikci uskudar elektrikci umraniye elektrikci istanbul su tesisat tamiri sisli kombi tamiri sisli cilingirci

Rock in Rio – O show


O final de semana dos dias 18 a 20 de setembro de 2015 vai ficar marcado na história d’Os Paralamas do Sucesso!

Na sexta-feira, dia 18, a banda participou do show de abertura do Rock in Rio ao lado de grandes nomes da música brasileira que, junto com os Paralamas, fizeram parte da história do festival no Brasil. “Óculos”, o grande hit que marcou os shows do grupo na primeira edição de 1985, e “Uma Brasileira” foram as músicas escolhidas para a festa – esta última ainda ganhou a companhia especial de Ivete Sangalo nos vocais.

 

Óculos – Show de abertura

 

Uma Brasileira (com Ivete Sangalo) – Show de abertura

 

No domingo, os Paralamas protagonizaram um dos grandes momentos do festival até aqui. Em pouco mais de 1 hora de show, a banda desfilou uma série de hits que não deixaram a plateia do Rock in Rio parar por 1 minuto. Herbert Vianna comandou as palmas e o grande coral de mais de 80 mil vozes. O show começou com a banda em sua clássica formação em trio, com Herbert, Bi Ribeiro e João Barone sozinhos no palco, assim como aconteceu nos 2 históricos shows de 1985. A primeira música do set list foi “Vital e Sua Moto”. Na sequência veio “Inútil”, atualizando a versão da banda para a música do Ultraje a Rigor, tal qual há 30 anose “O Calibre”.

Após essa primeira parte, João Fera (teclados), Bidu Cordeiro (trombone) e Monteiro Jr. (sax) subiram ao palco para incrementar a festa. O medley de “Cinema Mudo/ Ska” foi a deixa perfeita para que, em “Cuide Bem do Seu Amor” e “Aonde Quer Que Eu Vá”, Herbert Vianna pudesse reger pela primeira vez o público que cantava a plenos pulmões em uma sintonia incrível com a banda.

A sequência veio com 3 dos maiores sucessos do grupo: “Lanterna dos Afogados”, “Meu Erro” e “Óculos”. O próximo passo seria uma homenagem a duas grandes influências musicais do trio. “Você” e “A Novidade” reverenciaram, respectivamente, Tim Maia e Gilberto Gil. A festa não parava. “Melô do Marinheiro”, “O Beco”, “Caleidoscópio”, “Uma Brasileira”, “Lourinha Bombril” e “Alagados”.

O gran finale veio com João Barone apresentando a banda no palco e disparando. “A gente estava aqui há 30 anos acreditando num mundo melhor. Rock in Rio, o Brasil pode dar certo”, disse Barone, antes de introduzir “Que País É Este?”, música lançada em 1987 pela Legião Urbana e gravada pelos Paralamas no Acústico MTV em 1999.

Ao final do show, a banda se aproximou do público para agradecer pelos 32 anos de carinho e companhia. Ganharam aplausos efusivos das milhares de pessoas presentes. Depois, voltaram ao palco sorrindo, João Barone fazendo “aviãozinho” e todos vibrando com a mesma energia e a mesma alegria daquele janeiro de 1985.

Após o show, João Barone mandou um recado aos fãs, via Twitter: “Galera, em nome dos Paralamas, obrigado pela força! Sem vocês não seríamos nada! Trinta anos depois, a emoção continua! Valeu!”

Aqui, você confere fotos dos ensaios.

Neste link, tem fotos do show de abertura, na sexta-feira.

E, por fim, aqui tem fotos do show de domingo!

 

***

Confira a repercussão na imprensa:

“Os Paralamas do Sucesso também não tiveram dificuldade ao abrir os trabalhos do Palco Mundo e colocaram a multidão no bolso. Hit atrás de hit, conquistaram a plateia sem dificuldades e fizeram um show espetacular”. – Alexandre Marias – UOL

“Afiados como sempre, Herbert, Barone e o baixista Bi Ribeiro – auxiliados por dois sopros e pelo velho companheiro João Fera nos teclados – passearam por sua história, que necessariamente toca a da música brasileira e do país, em uma hora de show”. – Bernardo Araujo, O Globo

“Maravilhoso o show dos Paralamas na abertura do Palco Mundo.” – Jamari França

“O repertório foi um presente aos fãs, abordando toda a carreira no grupo e composto só por grandes sucessos.” – Revista Rolling Stone

Herbert Vianna e seus companheiros mostraram tranquilidade invejável sobre o palco, emendando uma canção atrás da outra. Empolgante, carismático e tecnicamente impecável.” – Heloisa Tolipan, Jornal do Brasil

Set List do Show do dia 20

Rock in Rio – Ana Maria Bahiana

A história de Ana Maria Bahiana com os Paralamas começou cedo. Em algum momento entre os anos de 1982 e 1983, a jornalista ouviu uma fita-demo que lhe chegou aos ouvidos pelas mãos de Maurício Valladares. “Me apaixonei de cara”, conta. A admiração logo virou amizade e até colaboração profissional – é dela o argumento para o clipe de “Foi o Mordomo” (1984) e o texto do livro que acompanha a caixa “Pólvora” (1997).

Ana assistiu a diversos shows da banda nesses 32 anos. Um deles, porém, lhe marcou especialmente: a histórica apresentação do trio na primeira edição do Rock in Rio, em 1985. Na época, Ana Maria era jornalista do caderno de cultura do jornal carioca O Globo e, mesmo em meio à correria do trabalho – que gerou um texto sobre o show, que você confere abaixo na íntegra – ela ainda conseguiu espiar a apresentação de Herbert, Bi e Barone.

Neste depoimento exclusivo para o site dos Paralamas, Ana – que hoje vive em Los Angeles – relembra o show no festival e conta como um policial americano conheceu “Alagados”.

Ana e os Paralamas

Conheci os Paralamas ainda em Brasilia, através do meu compadre Mauricio Valladares. Ouvi uma demo e me apaixonei de cara. Acompanhei a carreira deles de berço, fiz o argumento de um videoclipe (“Foi o Mordomo”, para o Fantástico), ia aos bastidores, eles pintavam na minha casa, no Leblon, perto da do  MauVal. Era uma espécie de corredor do rock, ali entre a Praça Antero de Quental e o Baixo. Tenho grandes lembranças, muito carinho e muita saudade desse tempo bom, quando as possibilidades pareciam tantas, os horizontes, tão abertos, o Brasil respirando, primaverando, se reinventando. A pulsação da música dos Paralamas era isso para mim, essa energia fundamental.

Ana, os Paralamas e o Rock in Rio

Achei o máximo eles serem convidados pro Rock in Rio. Achei arriscadíssimo também, mas confiava que eles estivessem prontos. E estavam. Hoje tudo parece um filme super exposto, imagens borradas, superpostas – é que  trabalhei demais, direto, cobrindo para O Globo no meio da lama, a redação volante instalada num trailer, os despachos com a Irineu Marinho feitos na base de mensageiro e a última novidade tecnológica.. o fax!

Anos depois

Momento engraçado aconteceu tempos depois, na primeira vez em que fui parada por um guarda aqui em Los Angeles (por não parar num sinal de “pare”, altas horas da noite, numa rua deserta). Eu estava ouvindo “Vamo Batê Lata” aos berros e quando o guarda pediu para baixar a janela do meu muito rodado Gol, tomou um “Alagados” no meio do peito. Levei a multa. Mas sorri muito. Mande um beijo grande daqui para eles. Diga que agora minhas netinhas Lucille e Evelyn dançam comigo ao som deles…

***

ROCK IN RIO 2,  Domingo, 13/1/1985

por: Ana Maria Bahiana

Muito sol, muito calor, muita gente, muito verde e amarelo antecipando a eleição de Tancredo Neves esta semana. E muitos problemas de som para os primeiros a se apresentar no palco do Rock In Rio. Seria conspiração dos técnicos gringos, operando apenas para as grandes atrações interacionais? Os bastidores estavam fervendo de teorias de conspiração.

Mas os Paralamas do Sucesso, abertura da tarde de domingo, não vieram para ter medo nem de calor, nem de som instável, nem da barulheira dos helicópteros sobrevoando a Cidade do Rock em busca de ângulos épicos para captar o evento. Herbert, Bi e Barone arrasaram do começo ao fim. Ouso dizer que foi o melhor show de abertura destes primeiros três dias de Rock in Rio: pura energia, competência, alegria contagiante, repertório enxuto em cima dos dois LPs do trio. Explosão total com big hit  “Óculos”, plateia inteira dentro, dançando, cantando junto. “Um tempo atrás um acontecimento como o Rock in Rio era impensável. Hoje nós estamos aqui e eu quero dizer que isto só foi possível graças aos novos grupos brasileiros que surgiram nos últimos anos”, Herbert disse, do alto do palco, no meio do show. E estava certo.

Apoiado no sucesso e no ótimo repertório de seus LPs Tempos Modernos, Ritmo do Momento e Tudo Azul, Lulu Santos fez um show empolgante, divertido, com o povo da Cidade do Rock cantando “Tempos Modernos”,  “O Último Romântico”, “Como Uma Onda”. Tão rock, tão carioca.

A onda carioca continuou com a Blitz, cheia de energia, arrebatando a plateia com “Weekend”, “Ridícula”, “A Dois Passos do Paraíso”. O clima de festa chegou ao auge com o grande sucesso da banda, “Você Não Soube Me Amar”, cantado em uníssono com Evandro Mesquita, Fernanda Abreu e Márcia Bulcão.

O código musical de comunicação entre humanos e ETs de Contatos Imediatos de Terceiro Grau anunciou a chegada de Nina Hagen. Perfeito: foi mesmo uma extra-terrestre que baixou no palco, cabeleira rosa pink, brandindo uma cruz e cantando a “Habanera”, ária da ópera Carmen. A doideira performática continuou, incluindo “Spirit in Sky”, hit menor dos anos 60, a punkíssima “White Punks on Dope” e alguns cacarejos ali pelo meio.

A plateia ainda estava meio em choque quando o extremo oposto de Nina Hagen entrou no palco : as saltitantes Go-Go’s.  O pop era leve e alegrinho, o pessoal reagiu bem ao sucesso “My Lips Are Sealed” mas não passou disso.

A noite, no final, ficou com um velho conhecido da imprensa carioca: Rod Stewart. E Rod ganhou o dia. Nem a chuva, que começou a cair assim que ele deu a partida em “Hot Legs”, conseguiu  tirar o show dos trilhos. Tudo perfeito, tudo certo – Rod é o popstar do momento. E sabe disso : anunciou um de seus primeiros sucessos, dos seus tempos com os Faces, “Maggie May”, como “uma canção da época em que eu era um garoto qualquer”. Pela aclamação da Cidade do Rock, não é mais mesmo.

Rock in Rio – Vídeos

Agora é a vez de conferirmos alguns vídeos das participações dos Paralamas no Rock in Rio. Vamos nessa?

 

1985 – Glória Maria (TV Globo) entrevista Herbert Vianna

 

1985 – A famosa bronca de Herbert Vianna na plateia e o início da homenagem ao Ultraje a Rigor

 

2011 – Depoimento do Herbert após o show de abertura do festival

 

2011 – Abertura do Rock in Rio com Milton Nascimento cantando “Love of my life” do Queen

 

2011 – Paralamas e Titãs – O Beco

 

 

1985 – Entrevista do Herbert à Ilze Scamparini (TV Globo)

 

1985 – Vital e Sua Moto

 

2011 – Lourinha Bombril – Paralamas, Titãs e Maria Gadu

Rock in Rio – Fotos e Registros

 

Continuando nosso resgate da história dos Paralamas do Sucesso no Rock in Rio, apresentamos agora uma galeria especial de fotos e registros das 2 apresentações da banda no Rock in Rio de 1985 (13 e 16 de janeiro) e do show de abertura de 23 setembro de 2011 ao lado de Milton Nascimento, Titãs e a Orquestra Sinfônica Brasileira.

Tem foto da credencial de 1985 autografada pelo Rod Stewart, cópia do ingresso e do cartaz de programação de 1985, Paralamas e Titãs em 2011, reportagens antigas e muito mais. Confere só a nossa galeria especial: http://bit.ly/fotosrockinrioparalamas.

Fique de olho aqui no site, porque tem muita coisa bacana que vamos publicar ainda até o dia 18, data de abertura do Rock in Rio 2015.

 

 

Rock in Rio – Eu fui!

O segundo post da série especial “Paralamas no Rock in Rio” traz a história de fãs da banda que foram aos shows que os Paralamas fizeram em 2 edições do Rock in Rio: 1985 e 2011. Tem cada história bacana! Tem uma fã que desmaiou na hora do show, um que mandou fazer camiseta especial pro dia, pai e filha juntos no mesmo show, voo atrasado, trânsito … Os Paralamas só tem a agradecer a todos vocês por todo esse carinho!

 

Vanusa Macedo – Rock in Rio 1985

Fiquei tão pilhada que desmaiei de emoção kkkk não me perdôo até hj

 

André Feliciano – Rock in Rio 2011

Estive no Rock in Rio 2011, no dia da abertura (Paralamas e Titãs). Na época, procurei por camisa dos Paralamas e não achei. Então, mandei fazer uma pra mim. Acredito que de todo o Rock in Rio só eu que estava com uma camisa da banda rsrsrs  Dia 20/09 estarei lá, marcando presença mais uma vez.

 

Luiz Flutt – Rock in Rio 2011 e em 1985, o pai dele

Eu fui ao show do Paralamas no RIR 2011, e meu pai foi ao show de 1985. Quase uma herança de pai pra filho!

 

Renata Sanches – Rock in Rio 1985 

oiiiiiiiiiiiiiiii banda mais querida do Brasil!!!! 13.01.85 sim, eu estava lá!!! Tinha 18 anos e o Rock in Rio foi minha primeira aventura musical fora da minha cidade, Campinas (SP). Assisti aos shows das cinco primeiras noites, todos inesquecíveis. Mas o pequeno trio, em cima daquele palco enorme, agigantou nessa apresentação. Me emociono em todos os shows dos Paralamas, mas, claro, alguns sempre marcam mais. Este foi meu primeiro show da banda. Não poderia começar melhor, né? E como não me apaixonar por esses ‘meninos’? Serão sempre meus meninos queridos. Anos mais tarde tive a sorte, a honra e a felicidade de trabalhar na EMI Odeon – SP por quase dois anos e… adivinha? Pude conhecer de perto e conviver com esse grupo formado por pessoas tão especiais. Não só o trio, mas toda família Paralamas.

 

Hector Pinho – Rock in Rio 2011

Foi um dia irado. Minha primeira vez no Rock In Rio. Fui com uns amigos e chegamos logo cedo. Curtimos alguns shows e na hora da abertura oficial nos posicionamos no centro palco. Foi muito emocionante e com toda a queima de fogos. Me lembrei de várias coisas e pessoas (na época minha avó estava internada e foi bem difícil) e não consegui me controlar e chorei. Chorei muito. Foi especial ver meus ídolos abrindo o maior festival de música do mundo e inesquecível presenciar eles dividindo o palco com o Milton Nascimento cantando “Love of my Life” do Queen. Alguns anos mais tarde, descobri que minha namorada também estava no show e se emocionou da mesma forma que eu. Até hoje me lembro de voltar pra casa realizado e cansado mas ainda voltei no dia seguinte pro Rock In Rio!

 

Denise Gomes – Rock in Rio 1985

Foi fantástico e o curioso pois não pensávamos em ir ao RIR, resolvemos de repente. Passamos no Maracanã, compramos os ingressos, e fomos de ônibus via Tijuca para lá! Tudo foi sensacional. Éramos um grupo de 7 pessoas e chegamos no comecinho do show do Paralamas! A música “Óculos” era a sensação da época e eu já era muito fã dos Paralamas. Mas as música que ficaram na nossa cabeça mesmo foram “Química”, e “Inútil”, na homenagem ao Ultraje a Rigor, que viemos cantando durante toda a viagem de volta!

 

Joannes Guglielmi – Rock in Rio 2011

Show dos Paralamas,faz parte da minha vida como cidadão. Já tive a oportunidade de ver algo acima de 300 shows e todos sempre com algo diferente. No Rock in Rio de 2011, fui com minha esposa para mais um show. Como sempre mais um belíssimo show. Herbert, Bi e Barone, além da cozinha com a Orquestra Sinfônica, dando aquele complemento no arranjo. Simplesmente MÁGICO. Esse ano, quando fomos comprar os ingressos para o Rock in Rio, minha filha de 9 anos escolheu justamente o dia 20, para ver os Paralamas! Minha filha já vai em show dos Paralamas desde os 8 meses de idade. Paralâmica igual ao pai e a mãe.

 

Gabriel Ishii Zamataro – Rock in Rio 2011

Dia 23/09/11 rumei ao Rio de Janeiro para o meu primeiro RIR, e o dia começou com muitas emoções e voos atrasados chegando em cima da hora no Rio de Janeiro. O trânsito parava a cidade inteira e fez com que absolutamente todos os acessos à Cidade do Rock estivessem completamente parados.

Fui no dia 23 especialmente para ver os Paralamas que tem uma importância gigantesca na minha vida, pois o primeiro disco que ganhei na vida foi “O Passo do Lui” e, apesar de já ter visto alguns shows deles, não estaria completo se não os visse no mais importante e icônico festival do Brasil. Cheguei na Cidade do Rock no exato momento em que João, Bi e Herbert entraram no palco e já no primeiro acorde de Óculos, vi que todo aquele perrengue para chegar valeria a pena. E valeu!